Imprensa

Henrique Lissovsky é compositor, arranjador e violonista premiado por Leo Brouwer e Philip Catherine no Concours de Création Musicale do XI Carrefour Mondial de la Guitare, realizado pelo Centre Martiniquais D'Action Culturelle em 1994.

Nascido em 1960 na cidade do Rio de Janeiro, inicia estudos de flauta doce na infância, e cresce batucando pelas ruas do bairro de Santa Teresa. Começa a estudar violão aos 11 anos de idade, participando de recitais no Auditório do Ibam, e na própria escola, interpretando compositores clássicos e populares.

A fim de aprofundar seus conhecimentos nas áreas de Percepção, Harmonia e Análise Musical; ingressa, com 21 anos, no Curso de Regência da Universidade Federal do Rio de Janeiro, se destacando com nota dez em Instrumentação e Orquestração na classe do Prof. Ronaldo Miranda.

Segue atuando como violonista em concertos realizados no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro e São Paulo, tanto como solista quanto como acompanhador de grandes nomes do canto lírico nacional: Inácio de Nonno, Ruth Staerke, Maria Lúcia Godoy, Paulo Fortes, Daniella Carvalho e Lício Bruno.

Participa do CD "Clara Sandroni", gravado em 1989, aonde tem a oportunidade de acompanhar Milton Nascimento, além de participar como instrumentista e arranjador em diversas outras faixas. Com ela, Henrique excursionou por várias cidades brasileiras.

Também em 1989, participa do "Basf Chrome Music", tocando em São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Rio de Janeiro, abrindo os shows de Milton para platéias de mais de 10.000 pessoas.

Sua incursão pela vertente jazzística brasileira tem como primeiro resultado o CD "Southern Cross", dirigido pelo contrabaixista Paulo Russo e lançado em 1990, somente na Europa, pela ITM-records. Neste CD estão incluídas duas faixas de sua autoria: "Seringal" e "Dadaê".

Sua primeira viagem internacional  surge em 1995. Integrante do grupo " Flautistas do Rio "; septeto liderado pelo flautista Celso Woltzenlogel , embarca para os EUA a convite da National Flute Association para participar de encontro entre mais de 500 músicos do mundo inteiro, em sua grande maioria flautistas, além de compositores e arranjadores.

Em 1998, Henrique Lissovsky convida Mauro Senise para fechar com chave de ouro a noite instrumental do II Festival de Inverno de Santa Teresa. 

No ano 2000, quando comemoramos 500 anos de “Descobrimento” do Brasil, Henrique decola com o quarteto Sambajazz, sob o Alto Patrocínio do Ministério da Cultura de Portugal, levando consigo Mauro Senise, Paulo Russo e Edu Szajnbrum, rumo ao Rota Jazz: um encontro de músicos jazzistas brasileiros e portugueses.

No CD “Cantigas” – Dianna Pequeno, lançado pelo selo Radio Mec no início de 2001, Henrique Lissovsky participa como violonista e arranjador, além de assinar a produção musical. Com Dianna, Henrique trabalhou durante seis anos atuando principalmente nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.

Em 2002 atua como violonista, produtor e arranjador do CD “Nilo Batista – Choros e Canções”.

Em 2005, a convite da maestrina sempre viva e querida Tina Pereira, da Orquestra de Sopros da Pro Arte, Henrique Lissovsky realiza arranjo inédito para o tema Coisa No.10 do saxofonista Moacir Santos; arranjo este que lhe rendeu dois afetuosos abraços deste consagrado músico brasileiro, além de um “muito obrigado” pessoal e intransferível.

Em 2006, a convite da maestrina Valéria Matos (Associação de Canto Coral) participa desde o início da montagem da “Sinfonia dos Mil” de Gustav Mahler, cantando num imenso coral em concertos regidos pelo maestro Isaac Karabtchevsky no Teatro Municipal do Rio de Janeiro e no Projeto Aquarius - Praia de Copacabana.

Em 2007, Henrique Lissovsky lança em parceria com a DeliraMusica o CD "Tem Sambajazz na Belazul". Em 11 faixas instrumentais de sua autoria,  a maioria delas gravadas ao vivo em estúdio, mixadas e masterizadas por Flávio Goulart de Andrade; "Tem Sambajazz na Belazul" conta com a participação de músicos como: Mauro Senise, Paulo Russo, Ivan Conti (Mamão), João Rebouças, Robertinho Silva, Joana Queiroz e Rafael Barata.

Segundo Beto Feitosa (Ziriguidum) esse é o “tipo de disco que leva (e eleva) o nome do Brasil e o prestígio de sua música”.

O CD Tem Sambajazz na Belazul também foi destaque na revista Áudio e Vídeo – SP e altamente recomendado pelo prestigiado audiófilo Fernando Andrette, que acrescenta: “É um disco para ser saboreado aos poucos, sem pressa. Com belos temas, solos precisos e excelente bom gosto em todos os arranjos”.

Desde 2007 Henrique vem atuando como arranjador no projeto Flautistas da Pro Arte, hoje dirigido por Cláudia Ernest Dias, tendo realizado arranjos inéditos para obras de Milton Nascimento, Luiz Gonzaga, K-ximbinho e Sivuca. Neste ano, o compositor contemplado é Gilberto Gil.

Para a Orquestra de Sopros da Pro Arte, Lissovsky realizou arranjos para obras de Moacir Santos, Luiz Eça, Garoto, Sivuca e Gilberto Gil, em projeto orquestral dirigido musicalmente pelo pianoviolonista Raimundo Nicioli.

Em julho de 2009, dando continuidade à parceria com o barítono Inácio de Nonno, caracterizada por um gosto comum pela canção brasileira; este duo de canto e violão vem se apresentando regularmente, sem a menor preocupação com rotulações como popular ou erudita, por exemplo.

Em abril de 2010, Henrique esteve na Itália, a convite de Isabelle Hernández, manager do grande maestro e compositor cubano, para participar da "Masterclass di Chitarra con Leo Brouwer", em evento promovido pela Associazione Suoni Nuovi.

Em 2011, consegue articular a vinda de Maestro Leo Brouwer ao Rio de Janeiro, com apoio logístico da Dell'Arte, para a realização de Masterclass no II Festival Internacional de Violão da UFRJ.

Em 2012, lança o segundo disco em parceria com a DeliraMúsica, com repertório de violão solo incluindo peças de Bach, Villa-Lobos, Baden Powell, Hélio Delmiro, entre outros. Este CD foi destaque no Jornal Estado de Minas com a seguinte manchete: “Henrique Lissovsky reforça as formas de tocar violão em peças populares no novo disco, Solo . Carioca ganhou premio, em 1994, no mais importante festival de violão do mundo”.

Em 2015, viaja a Cuba para participar do Festival Les Voix Humaines 2015 lançando seu último CD "Henrique Lissovsky" (Tratore Discos), concedendo entrevista à Havana Radio e realizando concerto no Kcho Estudio Romerillo.

Em novo CD instrumental, gravado em Havana (janeiro/2017) e finalizado no Rio de Janeiro, Henrique Lissovsky junto à baterista Yissy García reúnem músicos da nova geração cubana e brasileira, produzindo um álbum com temas compostos por Lissovsky, sendo a maioria deles inspirados em sua primeira viagem a Cuba. Participam deste trabalho a flautista e clarinetista Aline Gonçalves, o flautista Josué Borges, o trompetista Julio Rigal, os contrabaixistas Aryam Varona e Tiago Molina, o percussionista Bruno Oliveira (Onilu); além dos próprios idealizadores do projeto: Henrique Lissovsky e Yissy García (Tratore Discos).

Com longa trajetória na área educacional, Henrique Lissovsky é professor dos Seminários de Música Pro Arte desde 1983, e diretor musical da Orquestra de Violões da Escola de Música Villa-Lobos.